Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Leiam e digam-me se a segunda vírgula

por azulmar, em 09.06.17

Da última frase não está no sítio errado.

IMG_20170609_184442.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


7 comentários

Imagem de perfil

De Maria Araújo a 09.06.2017 às 19:38

Na minha opinião é:
(...) quero dizer, obviamente, que os meus filhos...
ou "quero dizer; obviamente que ...."

Em: "quão pouco sabemos nós, médicos dos infernos, a que sujeitamos os doentes" é correcto, como , "quão pouco sabemos nós médicos dos infernos, a que sujeitamos os doentes".
É a minha opinião.
As vírgulas são conflituosas.
Por vezes, um ponto é a solução.
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 09.06.2017 às 19:39

penso que também pode ser:

"quão pouco sabemos nós médicos dos infernos a que sujeitamos os doentes".
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 09.06.2017 às 19:42

o sentido que o narrador deu à frase está no ponto de exclamação, pelo que penso que pode ter ou não as vírgulas.
Imagem de perfil

De azulmar a 09.06.2017 às 22:27

Pois, realmente por este excerto não está muito perceptível, mas pelo que surge escrito nas páginas anteriores em que se fala do tratamento violento que o amigo sofreu e a diferença de 'ser' dele quando regressar ao trabalho, eu acho que ele se refere ao inferno (os tais tratamentos violentos e as suas consequências) que os médicos por vezes sujeitam os pacientes. Eu acho que o autor não​estará a dizer que são "médicos dos infernos", mas sim "dos infernos a que sujeitamos os doentes". Por isso achei que a existir vírgula (porque relendo agora até acho que nem é necessária) seria em "nós, médicos,...". Gostava de ler na língua original qual seria o verdadeiro sentido que o autor lhe quis dar.
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 11.06.2017 às 23:49

Pois!
Quem não está a par do que se leu, interpreta doutra forma.
Tem razão, agora que explicou, é provável, sim que o narrador que a vígula esteja ali por engano e seja:

" quão pouco sabemos nós, médicos, dos infernos a que sujeitamos os doentes" .
Tem lógica.
Boa semana.
Imagem de perfil

De Ana a 20.06.2017 às 10:33

Realmente. A não ser que ele se quisesse denominar "médico do inferno" mas assim o resto não teria muita lógica.
Imagem de perfil

De azulmar a 27.06.2017 às 14:16

É o exemplo de uma tradução que altera completamente o sentido do que é escrito no original.

Comentar



foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D





Últimas leituras

13 Anos para Sempre, Marion
Nem Todas As Baleias Voam
Vamos Comprar Um Poeta
Sputnik, Meu Amor
Caçadores de Cabeças
Para Onde Vão Os Guarda-Chuvas
A Amiga Genial
Confissões de uma Médica
Stoner
Furiosamente Feliz - Um livro divertido sobre coisas horríveis
Sete Notas Musicais
O Escritor-fantasma
A Biblioteca
O Livro
Silêncio - O Poder dos Introvertidos num Mundo que Não Para de Falar
As Torrentes da Primavera seguido de Um Gato à Chuva e Outros Contos
O Quarto de Jack
Kafka à beira-mar
Os Números que Venceram os Nomes
Lugares Escuros


Azulmar's favorite books »