Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Canto de conversas

Umas vezes em modo Zen, outras nem por isso

Canto de conversas

Umas vezes em modo Zen, outras nem por isso

Apesar de ter sido um ano terrível para mim e para os meus, houve coisas boas, que foram sendo registadas neste Diário de Gratidão. Hoje fecha-se mais um ano e a minha gratidão vai para, apesar das dificuldades todas, termos conseguido percorrer estes 366 dias com coragem, unidos e sempre com esperança que melhores dias virão. Obrigada família. Obrigada amigos. Obrigada.

27 Dez, 2016

2016

Estamos na última semana do ano e dizem que é costume fazer-se um balanço do ano que passou. Pois. 2015 não foi um bom ano, tanto no geral como a nível pessoal. Estive a rever o que escrevi sobre 2015 e as expectativas que tinha para 2016 e verifico que este ano foi quase o oposto do ano anterior. No plano pessoal, a nível familiar três grandes problemas de saúde surgiram, deitando o meu desejo de "Saúde" praticamente por terra. Ficou a "serenidade para enfrentar tudo o que vier" mas que nem sempre foi fácil encontrar. A nível profissional, depois de um 2015 desafiante, 2016 representou o estagnar, que nem sempre é positivo. Mantive o Diário de Gratidão, escrito em parte e como resumo de dia apenas em pensamento noutra parte, para me 'obrigar' a perceber que todos os dias há algo por que agradecer, há algo positivo no meio do menos bom.

 

No geral... Bom, é o que se vê todos os dias. Um escalar de violência por todo o planeta, guerra, terrorismo, atentados, intolerância em todos os sentidos. Líderes mundiais cada vez mais empenhados nos seus próprios interesses. Gente inocente que sofreu e sofre por causa deles.

 

E mortes. Muitas mortes. Anónimos e conhecidos. Um número anormal de mortes.

 

 

2016, desculpa-me mas não vou ter saudades de ti.

 

(E se me falarem do futebol e do Euro, isso é tão pequenino comparado com o que falei aqui que não consegue fazer praticamente peso na balança)

Pág. 1/6